Vespa da Madeira

Posição sistemática

A Vespa da Madeira (Sirex noctilio) é uma espécie indígena da Europa, (Turquia) e Norte da África, pertence a ordem Hymenoptera, família Siricidae.
 
Ocorrência da vespa da madeira

Na década de 40 foi detectada na Nova Zelândia onde causou grandes prejuízos à Silvicultura local. Com o passar dos anos foi migrando para outros países e continentes, chegando ao Uruguai em 1980 e ao Brasil em 1988, sendo que em 1993 foi detectada no Sul do Paraná.

Aspectos biológicos

O prejuízo às árvores é causado pelas larvas do inseto que alimentam-se dos tecidos da planta. Na verdade as larvas consomem uma espécie de fungo que é introduzido na madeira pelas fêmeas adultas no momento da postura. As fêmeas adultas tem grande percepção química e são atraídas por substâncias emitidas por plantas que encontram-se estressadas. O estado de estresse pode ser provocado por danos físicos, podas acentuadas e principalmente pela falta de manejo adequado.
 
Danos da vespa da madeira

Os sintomas do ataque da vespa são: respingos de resina; amarelecimento da copa; orifícios de emergência; em madeira desdobrada são encontradas galerias escavadas pelas larvas e manchas azuladas provocadas pelo fungo inoculado pelas fêmeas.

Métodos de controle

As medidas preventivas para o controle da vespa são o manejo adequado da floresta, principalmente a realização de desbastes, a eliminação de possíveis focos, secagem da madeira após o corte e fiscalização do transporte. A principal medida de detecção e controle é a instalação de árvores armadilhas, que são obtidas através do estresse físico de árvores sadias (anelamento), ou pela aplicação de um herbicida. Os grupos de árvores devem ser de 5 árvores é o número de grupos vai depender do tamanho da área amostrada. Instalados os grupos eles devem ser vistoriados regularmente. Detectada a presença da vespas deve ser iniciado o controle biológico com o uso de nematóides que são distribuídos pela EMBRAPA. Os nematóides são aplicados nas árvores infestadas instalando-se nos traquéoides da planta. Ao serem consumidos pelas larvas junto com os tecidos vegetais os nematóides instalam-se no aparelho reprodutor das fêmeas que ficam estéreis. Mesmo assim estas fêmeas realizam novas posturas junto com o nematóide que instala-se em uma nova árvore e recomeça seu ciclo de vida, contaminado outras fêmeas que vão contaminar outras árvores e ........

É valido lembrar que além dos nematóides a vespa da madeira tem outros inimigos como os parasitóides da ordem Hymenoptera como a Ibalia leucospoides, Rhyssa sp. e Megarhyssa sp., que podem auxiliar no controle biológico deste inseto. Porém, apenas a utilização de inimigos naturais não é o suficiente para controlar esta praga, pois sua ocorrência esta associada ao manejo inadequado da floresta, portanto o controle desta praga deve começar com o manejo correto dos povoamentos, com a utilização de espaçamentos e desbastes adequados

Pesquisas

Bioecologia de Sirex noctilio F., 1793 (Hymenoptera; Siricidae) em povoamentos de Pinus taeda L.


Autor: Acacio Geraldo de Carvalho
Orientador: Prof. Dr. J. H. Pedrosa-Macedo
Ano de conclusão: 1992


RESUMO

O trabalho proposto teve como objetivos a seleção de herbicida e a definição da época para instalação de árvores armadilha, como também estudos de aspectos da bioecologia de Sirex noctilio Fabricius, 1793 (Hymenoptera; Siricidae) e do parasitóide Ibalia leucospoides Hochenwarth (Hymenoptera; Ibaliidae), no campo e em laboratário. Os experimentos de campo foram instalados em quatro povoamentos de Pinus taeda, com diferentes tratos silviculturais e manejo, nos municípios de São Francisco de Paula e Cambará do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. O herbicida Dicamba foi mais eficiente quando comparado com U-46 e Tordon, para induzir a mortalidade das árvores selecionadas e para torná-las atrativas ao S. noctilio. A época de instalação de árvores- armadilha, dependeu do diâmetro, da sanidade e da idade dos plantios variando de junho a outubro. Foram determinados os seguintes parâmetros para S. noctilio: número de orifícios, porcentagem de larvas vivas e mortas por processo de postura, duração e distribuição das fases de desenvolvimento no fuste de P. taeda, na fase adulta, periodo de pré-postura, postura, longevidade, razão sexual, número de ovos por fêmea, flutuação populacional de machos e fêmeas, atividades de machos e de fêmeas durante o dia, além do diâmetro mínimo com emergência nas árvores-armadilha. Para I. leucospoides: comportamento no acasalamento, postura, longevidade, flutuação populacional de machos e de fêmeas, índice de parasitismo e ciclo de desenvolvimento.

ABSTRACT

The proposed research had as objective the select of herbicides and the definition of period for installation of "trap" trees, it was also studied the bioecological aspects of Sirex noctilio Fabricius, 1793 (Hymenoptera; Siricidae), and the parasitoid Ibalia leucospoides Hochenw. (Hymenoptera; Ibaliidae), in the field and in the laboratory. The survey in the field were installed in four plantations of Pinus taeda, with different forest managements and treatments, in the municipalities of São Francisco de Paula and Cambará do Sul, Rio Grande do Sul State. The were used different herbicides to induce the mortality of trees for increase the attraction of S. noctilio. The use of Dicamba herbicide in the "trap" trees vias the most efficient when compared with U-46 and Tordon. The period of the installation of "trap" trees, was correlate to the diameter, healthy and age of the plantation , changing from June to October. It was determined the following parameters for S. noctilio: number of holes, quantity of dead and living larvas for posture process, duration and distribution of estages in trunk development of P. taeda in the adult period preposture period, posture, longevity, sexual reason, number of eggs for female, population floatation of male and female, activities of male and female during the day, minimun diameter with emergence in "trap" trees; for I. leucospoides: mating behavior, posture, longevity, population fluctuaton of male and female, index of parasitism and development cycle.

Ocorrência natural, ensaio de laboratório e de campo de Beauveria bassiana (BALS.) VUILL, em Sirex noctilio F., praga de Pinus taeda L.



Autor: MARCO ANTONIO DIODATO
Orientador: Prof. Dr. Honório Roberto dos Santos
Ano de conclusão: 1992


RESUMO

Este trabalho propõe, através dos experimentos de campo e, experimentos e estudos de laboratório, o conhecimento aprofundado do fungo Beauveria bassiana e a sua interação com a vespa-da-madeira, Sìrex noctilìo, praga de Pinus taeda, visando dar uma contribuição ao controle desta praga. Os experimentos de campo foram desenvolvidos nos municípios de São Francisco de Paula e Cambará do Sul - RS, durante 1990 a 1992. Foi verificada a ocorrência natural da doença na praga, em 23,80; 7,62 e 0,44% de larvas, pupas e adultos não emergidos, respectivamente. Foi constatado que em adultos emergidos a doença incide mais em fêmeas (17,77%) do que em machos (8,30%). No campo, as larvas de menor tamanho apresentaram maior suscetibilidade ao fungo, o que não aconteceu nos testes de laboratório. Porém, foram constatadas diferenças na taxa de mortalidade em relação à idade larval, sendo maior nas larvas de menor idade (3 meses) do que nas mais longevas (7 meses). Fêmeas são capazes de contaminar a progênie através da postura, desde que o fungo esteja presente na superfície da árvore. Larvas de Ibalia Ieucospoides apresentaram suscetibilidade à doença em laboratório. já no campo este fato foi. raro, sendo constatada apenas uma larva com sintomas da doença. O tempo de um minuto, de exposição do fungo à luz ultravioleta, apresentou maior taxa de crescimento em diâmetro e conidiação, em relação à não tratada.

ABSTRACT

The present work was carried out aiming at the study of the entomopatogeneous fungus Beauveria bassiana, and its interaction with the wood-wasp Sirex noctilío, pest of Pinus taeda. The research was carried out in the São Francisco de Paulü and Camabará do Sul Counties, durìng the years 1990 to 1992. The results have show a natural effectiveness of the fungus of 23,80; 7,62 and 0,44%, on larvae, pupae and adult, respectively. On the emerging adult, the fungus caused a greater mortality in females that males. Under field conditions, larvae smaller show more susceptìbility to fungus than bigger ones, this was not observed in laboratory condítions. The mortality was more in larvae of a younger age (3 months) rather than in the older ones (7 months). Females during oviposition process are capable of introducing spores of the fungus into the tree, causing mortality on descendants. Larvae of Ibalia leucospoides showed susceptibility to entomopatogeneous fungus under laboratory conditions, but not shoued under field conditions except in the case of síntoms in one larvae, One minute of ultraviolet light exposure to the fungus presented a greater level of growthin diameter and sporulating in relation to the non treated ones.

RESUMEN

Este trabajo tiene la propuesta de através de esperimentos de campo y de laboratorio, aprofundar más en el conocimiento del hongo entomopatogénico Beauveria bassiana y su interacción con la avispa Sirex noctilio, plaga de Pinus taeda, con el objetivo de aportar otras medidas de control a Las ya esistentes de la plaga. Los trabajos de campo fueron desarrollados en los municipios de São Francisco de Paula y Cambará do Sul, ambas en Rio Grande do Sul, durante 1990 a 1992, Fue verificada la presencia espontánea de la enfermedad en 23,80; 7,62 y 0,44% de larvas. pupas y adultos. respectivamente. En adultos emergidos fue constatado el hongo, en mayor proporción, en hembras que en machos. En campo, las larvas de tamanho menor presentaron mayor susceptibílidad a la enfermedad, hecho no verificado en laboratorio. Fue constatada diferencias en La mortalidad larval, en relación a la edad. siendo mas grande en larvas de menor edad (tres meses), que en las más longevas (siete meses). Hembras son capaces de contaminar la progenie através de la postura, desde que el hongo esté presente en la superficie del árbol. Larvas de Ibalia leucospoides fueron susceptibles al hongo en condiciones de laboratorio, lo que fue raramente constatado en condiciones naturales de campo, encontrandose apenas una larva con esta condición. EI tiempo de exposición del hongo de un minuto a la luz ultra violeta, demostró ser la de mayor crecimiento en diámetro y producion de esporos.